Maio Amarelo é abordado em reunião do Parlamento Metropolitano da RMC

Diretor-presidente do OBSERVATÓRIO leva balanço preliminar de ações realizadas durante a mobilização deste ano em todo o país

A importância do Maio Amarelo como mobilização para conscientizar a sociedade sobre a necessidade de redução do número assustador de mortes e de feridos graves em acidentes de trânsito no Brasil e no mundo, e um balanço preliminar da mobilização deste ano, foram apresentados nesta sexta-feira, 2 de junho, aos participantes de reunião do Parlamento Metropolitano  da RMC (Região Metropolitana de Campinas), em Vinhedo.

Os dados foram divulgados pelo diretor-presidente do OBSERVATÓRIO Nacional de Segurança Viária, José Aurelio Ramalho. Durante o evento, Ramalho destacou os custos dos acidentes no Brasil, que demandam anualmente recursos da ordem de R$ 56 bilhões, que deixam de ser investidos em ações e benefícios sociais para a população.  Ele lembrou que com o montante poderiam ser construídos 1,8 mil hospitais e 28 mil escolas, o que ampliaria em 50% a oferta de educação no país.

Os reflexos negativos dos acidentes de trânsito na área da Saúde, já que mais de 60% dos leitos reservados para traumas em todo o país são ocupados por vítimas de acidentes de trânsito foram, igualmente, apresentados. Ramalho mostrou aos participantes, além disso, estudos que apontam as principais causas de acidentes e dados estatísticos das ocorrências verificadas nos municípios que compõem a Região Metropolitana de Campinas.

Na reunião foi assinado acordo de cooperação técnica entre o OBSERVATÓRIO e o Parlamento Metropolitano, por meio do qual a entidade disponibilizará consultoria e suporte para temas relacionados ao trânsito. Os representantes das cidades reunidos no encontro do Parlamento Metropolitano puderam, ainda, conhecer o programa Município Laço Amarelo, que já conta com Indaiatuba, Campina Grande/PB e Agudos/SP como signatários.

Criado pelo OBSERVATÓRIO neste ano, o programa “Município Laço Amarelo” visa condecorar com o selo de segurança as cidades que querem mudar a percepção de risco dos moradores com relação ao trânsito, além de incentivar a mudança de comportamento, transformando assim o ir e vir em atitudes seguras para todos.

Com uma série de conteúdos de comunicação disponíveis, o município que aderir ao programa terá a segurança viária como pauta mensal no trabalho junto a comunidade. “A intenção é ajudar os municípios a conscientizar a população, não só durante o mês de maio, quando ocorre o Movimento Maio Amarelo, mas no restante do ano também, sobre a importância da preservação de vidas no trânsito”, explica Ramalho.

Faça um comentário